DICAS: Vale a pena fazer seguro de viagem?

Antes de reservar e preparar uma viagem, muitas pessoas questionam-se sobre muitos assuntos, tais como os pontos turísticos a visitar, o que levar na mala, quanto dinheiro levar, etc. Contudo há sempre um ponto muito importante que passa ao lado na altura da reserva: falamos de fazer seguro de viagem.

A segurança deveria ser o primeiro ponto a pensar, não é verdade? Os acidentes são imprevisíveis e quando não estamos no nosso meio e zona de conforto tornam-se ainda mais difíceis de lidar.

Mas será que vale a pena fazer um seguro de viagem?

Sim! Esta é a nossa opinião.

Nesse caso, qual o melhor seguro?

Existem muitas seguradoras que oferecem planos de seguros de viagem, cada um adequado a situações diferentes. O que é natural, porque cada pessoa prioriza diferentes acontecimentos. Enquanto alguns podem dar mais importância à saúde propriamente dita, outras preferem condições que assegurem mais segurança nas condições do voo a fim de não perder dinheiro. No entanto, não podemos dizer que há seguradoras melhores e outras piores, porque cada uma tem os seus pontos fortes.

Trabalhando no ramo, a Marisa reconhece que não há seguro de viagem mais completo que o da RNA ou da ERV. Ambas fazem parte de grupos de gestão semelhantes e são as utilizadas pela grande parte das agências. A Allianz e a Intermundial também têm muito boas ofertas, mas todas acabam por ter algo em comum: as melhores condições de seguros são vendidas a agências de viagens e operadores turísticos, por isso é difícil conseguir-se um bom seguro sem consultar um mediador de seguros ou um agente de viagens.

E quanto custa, em média, um seguro de viagem?

O preço depende sempre das coberturas. Há seguros à venda na internet por menos de 3€ por viajante. Como devem compreender, um seguro que custa 3€ por viajante não vai ter coberturas absolutamente nenhumas. Pensem nisto como se fosse no seguro de um carro ou da casa. Há (hipoteticamente e para efeitos de exemplo) o seguro base, o médio e o alto, todos eles com custos e coberturas diferentes. No caso dos seguros de viagens acontece exatamente o mesmo. Regra geral, tirando esses seguros de 3€ por pessoa, os melhores preços acabam por ser os das agências de viagens (falamos nós por conta própria enquanto viajantes independentes, ainda antes de uma de nós se tornar agente de viagens), pois há um maior risco associado a viajantes independentes que a viajantes que optam por reservar os serviços numa agência profissional.

Cada viajante deve fazer uma avaliação cuidada do seguro e seguradora a escolher e considerar sempre o montante total da viagem comprada e o destino.

Faz sentido fazer seguro em todas as viagens?

Óbvio que não. Há algumas situações e tipos de viagem em que pode não fazer sentido acarretar mais um custo. Por exemplo:

  • Em escapadinhas dentro de Portugal onde temos apenas reservado um hotel;
  • Viagens ao estrangeiro de baixo custo, curta duração e para zonas de conforto;

Para viagens mais simples e em território europeu, é importante ter o Cartão Europeu de Saúde, uma vez que beneficias de alguns serviços em países-membros da UE (pede aqui o teu).

Também te aconselhamos a verificar as condições dos serviços que utilizas regularmente, como seguro de vida ou cartão de crédito. Alguns podem até já incluir algumas cláusulas para viagens e assim sempre consegues poupar algum dinheiro.

Cada vez mais das pessoas optam por contratar um seguro de viagem para evitar constrangimentos e poder tirar partido da sua viagem com tranquilidade, seja para evitar perder dinheiro devido ao cancelamento ou interrupção da viagem ou para estarem salvaguardados em qualquer necessidade.

Por norma, os seguros de viagem incluem as seguintes coberturas, cada uma depois com as suas das condições:

  • perda, extravio, roubo e deterioração de bagagem;
  • cancelamento ou interrupção da viagem;
  • despesas de assistência médica em caso de emergência;
  • transporte em caso de acidente;
  • indemnização por morte ou invalidez.

Por vezes, o objetivo quando viajas é gastar o menos possível e ter um seguro de viagem será sempre mais um custo no final da reserva. Mas já dizia o provérbio “mais vale prevenir do que remediar”. Não podemos ignorar que os acidentes acontecem quando menos esperamos e podemos precisar de assistência médica quando estamos a milhares de quilómetros da nossa cidade.

Antes de dares a confirmação a determinada seguradora, confere o que está incluído no seguro de viagem. E procura entender atempadamente quais são as tuas verdadeiras necessidades.

Precisas de mais informação relativamente a seguros de viagem? Envia-nos uma mensagem 🙂

Deixe uma resposta